18.3.08

Clipagem da Band

________________________________________________

________________________________________________
________________________________________________


CQC: programa humorístico estréia nesta segunda na Band

A mais nova atração humorística daTV brasileira chega, nesta segunda-feira (17), às telinhas no horário nobre. CQC - Custe O Que Custar será um programa de humor que passará todas as segundas à noite, na Band, e trará no elenco nomes marcantes das comédias Stand-Up no Brasil, como Marcelo Tas, Rafinha Bastos, Marco Luque, Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli e Oscar Fillho.
A marca registrada da tripé do CQC será o uniforme: sete homens vestidos de terno preto usando óculos escuros. Sem falar da inseparável irreverência. Mas isso, esses caras têm de sobra... Com humor inteligente, audacioso e ácido, o programa fará um resumo semanal das notícias ao redor do mundo, e nada escapará do olhar atento do CQC. Enquanto uma parte do elenco ficará na bancada conduzindo o programa ao vivo, além de comentar livremente os principais assuntos da semana, a outra parte cuidará das reportagens. E claro, sempre acompanhados do microfone e da cara-de-pau. Segundo Elisabetta Zenatti, diretora de programação e artístico da Band, foi muito difícil fazer a escolha do elenco para o programa: “Essa foi uma das escalações mais difíceis que fizemos, porque esse elenco precisava ter vários atributos específicos. Era fundamental ter ótimo conhecimento geral e humor na veia, além de muita coragem e improviso para enfrentar as situações. Duas outras preocupações foram não escolher pessoas com o mesmo tipo de humor e buscar profissionais sem vícios, que não fossem conhecidos na TV, apesar de experientes. Alguns deles, inclusive, são destaque da comédia stand up no Brasil".
Ah! Não pode-se esquecer da mosca, símbolo mundial do programa, que já “mexeu” com presidentes, jogadores de futebol, autoridades religiosas, políticos, cineastas e artistas em geral. Digamos que terá um quê de Pânico na TV, hein?!
O novo programa humorístico da TV brasileira, CQC - Custe o Que Custar, estreou nessa segunda-feira (17) na Bandeirantes.

No time estão Rafinha Bastos, Marco Luque, Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli e Oscar Filho. No comando está o veterano Marcelo Tas. Para quem não lembra, ele era o professor Tibúrcio de Rá-Tim-Bum e fazia o quadro 'Porque sim, Zequinha', no Castelo Rá-Tim-Bum.


Repara na Robert da Cicarelli fazendo propaganda de seu programa, que estréia no próximo domingo (23).


Para quem não assistiu, o jornalista Rafael Cortez conseguiu entregar seus óculos escuros - símbolo do programa - ao Lula. E Rafinha agradece ao presidente!


Outras atrações do programa foram um encontro com o jogador Robinho, na Espanha, e a vinda de Zidane para o Brasil.


E pelo jeito o programa agradou a platéia!
________________________________________________
Destak
________________________________________________ ________________________________________________

Custe o Que Custar

Marcelo Tas estréia na Band, na próxima segunda

Marcelo Tas está de volta. O jornalista vai apresentar a nova atração da Band, Custe o Que Custar, que estréia na próxima segunda-feira (17).
Com humor inteligente, audacioso e muitas vezes ácido, o programa faz um resumo semanal das notícias. Marcelo Tas terá como companheiros de bancada Rafinha Bastos e Marco Luque.
Segundo informações da assessoria de imprensa da emissora, além de conduzir o programa ao vivo, os três terão a missão de comentar livremente os principais assuntos da semana.
Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli e Oscar Filho - além do próprio Rafinha Bastos – serão responsáveis pelas reportagens.
O Custe o Que Custar tem um formato importado pela Band da Eyeworks-Cuatro Cabezas. O programa faz sucesso há mais de 10 anos e recebeu sete indicações ao International Emmy Awards.
A atração tem versões no Chile, Argentina, Espanha e Itália.
O CQC estréia às 22h15 e será exibido todas as segundas-feiras.
A mosca do CQC, símbolo mundial do programa, já incomodou muita gente importante. Presidentes, jogadores de futebol, autoridades religiosas, políticos, cineastas e artistas em geral estão entre as “vítimas” preferidas.
________________________________________________
Televisão
Humor afiado
Estréia hoje o irreverente Custe o que Custar (Band, 22h15min), em que sete homens vestindo ternos pretos e óculos escuros apresentam um resumo semanal das notícias com humor inteligente e ácido. O programa terá na bancada Marcelo Tas, Marco Luque e o gaúcho Rafinha Bastos, com reportagens a cargo de Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli e Oscar Filho, além do próprio Rafinha.
________________________________________________


Com Marcelo Tas e Rafinha Bastos, "CQC" estréia nesta segunda-feira na Band

Sete homens vestidos de terno preto e óculos escuros farão, com muito humor, um resumo das principais notícias ocorridas durante a semana. Esse será o formato do programa "Custe o Que Custar", que estréia nesta segunda-feira (17), às 22h15, na Band.
Com brincadeiras e irreverência, o jornalista Marcelo Tas, o comediante e também jornalista Rafinha Bastos e o ator Marco Luque assumirão a bancada e conduzirão, ao vivo, o novo programa da Band, comentando livremente os fatos ocorridos pelo país e pelo mundo.
Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli e Oscar Filho - além do próprio Rafinha Bastos - cuidarão das reportagens e, de microfone em punho, os cinco terão uma prioridade: perguntar o que ninguém tem coragem.
"Essa foi uma das escalações mais difíceis que fizemos, porque esse elenco precisava ter vários atributos específicos. Era fundamental ter ótimo conhecimento geral e humor na veia, além de muita coragem e improviso para enfrentar as situações. Duas outras preocupações foram não escolher pessoas com o mesmo tipo de humor e buscar profissionais sem vícios, que não fossem conhecidos na TV, apesar de experientes. Alguns deles, inclusive, são destaques da comédia stand up aqui no Brasil", afirma Elisabetta Zenatti, diretora de programação e artístico da Band.
O "CQC", como foi apelidado, é uma adaptação de um programa argentino, de que Tas afirma que sempre foi fã. "Topei o convite da Band porque acredito que o nível de exigência editorial e qualidade técnica do 'CQC' é uma forma de aperfeiçoar o trabalho que faço na TV desde sempre. E também porque acredito que o telespectador brasileiro esteja aberto e com vontade de mais irreverência e humor para ajudar a digerir as notícias absurdas dos nossos dias", declara.

No entanto, apesar da adaptação - o formato foi importado pela Band da Eyeworks-Cuatro Cabezas e co-produzido no Brasil pelas duas empresas - Elisabetta acredita que um programa produzido no Brasil e com elenco local é "totalmente adaptado ao perfil do brasileiro" e aposta no seu sucesso.

________________________________________________
Marcelo Tas comanda o CQC a partir de segunda-feira (17/03) na Band

Marcelo Tas volta ao meio que o fez conhecido: a TV. A Band estréia na segunda-feira (17/03), a partir das 22h15min, o CQC – Custe o que Custar, programa que mistura jornalismo e entretenimento, com Tas como âncora. Ao vivo, os apresentadores farão uma revisão dos temas da última semana, seguindo a diretriz de “perguntar o que ninguém teve coragem”.
Na bancada, além de Tas, estarão o ator e jornalista Rafinha Bastos e Marco Luque, do Terça Insana. Nas reportagens, além de Bastos, estão Rafael Cortez, Danilo Gentili, Oscar Filho e Felipe Andreoli – este último, professor da Escola de Comunicação do Comunique-se.
Formato importado do programa argentino Caiga quiem Caiga, o programa já era conhecido por Tas, principalmente pelas perguntas incômodas, ponto comum entre o CQC original e seu Ernesto Varella.
“Sou fã do CQC há mais de 10 anos, quando cruzei com os caras em Buenos Aires. Tivemos uma identificação imediata por conta do Ernesto Varela, que um deles já conhecia. Topei o convite da Band porque acredito que o nível de exigência editorial e qualidade técnica do CQC é uma forma de aperfeiçoar o trabalho que faço na TV desde sempre. E também porque acredito que o telespectador brasileiro esteja aberto e com vontade de mais irreverência e humor para ajudar a digerir as notícias absurdas dos nossos dias”, diz Tas, voltando à TV após o Saca-Rolha, programa que apresentava com Lobão e Mariana Weickert na Play TV.
O CQC será co-produzido com a Eyeworks-Cuatro Cabezas, criadora do programa original. A atração conta com versões no Chile, Argentina, Espanha e Itália, e já recebeu sete indicações ao Emmy Awards.
________________________________________________

A platéia feminina não se contém. A resposta à pergunta de Marcelo Tas sobre quem é o homem mais bonito do programa é respondida aos gritos pelas mulheres na gravação do piloto de Custe o Que Custar, que a Agência Estado acompanhou com exclusividade. Marco Luque comemora o posto de galã com uma dancinha engraçada.
O ator, que ficou conhecido na internet como o motoboy Jackson Five, é um dos nomes da comédia stand-up que, ao lado de Tas, Rafinha Bastos, Rafael Cortez, Danilo Gentili, Felipe Andreoli e Oscar Filho, forma o time dos sete homens de preto da versão nacional do programa que estréia hoje, às 22h15, na Band. É uma co-produção entre a emissora brasileira e a produtora argentina Eyeworks-Cuatro Cabezas, dona do formato.
Depois de um intervalo em que Luque foi amplamente assediado pela platéia feminina, Palmirinha, apresentadora da TV Culinária, da Gazeta, aparece na tela interagindo com os telespectadores. A cena congela e a câmera se volta para os apresentadores. Em elevado tom de deboche, Rafinha, Tas e Marco roubam os trejeitos da apresentadora e reproduzem a cena. O público cai na risada. Palmirinha foi a campeã do Top 5, seleção dos cinco momentos mais esdrúxulos da semana na TV, um entre dezenas de quadros do CQC.
O formato recebeu sete indicações ao Emmy Awards e foi adaptado por emissoras do Chile, Espanha, Itália, França e Israel. No Brasil, o programa, que se propõe também a resumir as notícias mais marcantes da semana, chega com cenário extravagante e equipes de produção e pós-produção de primeira linha — o que garante divertidos recursos para ilustrar as matérias, como bolas de fogo que saem da boca dos apresentadores e animais voando em direção aos entrevistados. O tom irreverente e a perseguição a personalidades em muito lembra os bons tempos dos cassetas, e a turma do Pânico, é claro.Mas o CQC tem charme próprio. O diretor argentino, Diego Barredo, acredita que, apesar de não ter mulheres no casting, “o público do programa será basicamente feminino porque o elenco é masculino” — que ele chama de “tropa de elite”. O time do programa é formado por 50 pessoas, entre roteiristas, produtores e câmeras. Das reuniões de pauta que procuram reunir grande parte da tropa saem as principais idéias a serem aproveitadas pelos roteiristas. Com um toque de Michael Moore, Borat e Daily Show, a equipe deu conta de atazanar a vida do presidente Lula, dos ministros Marta Suplicy e Gilberto Gil, do jogador Robinho e do ator Dan Stulbach. Piadas sortidas, alvos de todo o tipo. Cuidado, até você pode ser a próxima vítima dos homens de preto. (Da Agência Estado)Nova atração conta com a ironia de Marcelo Tas Jornalista, ator, apresentador, roteirista e diretor de programas que fizeram sucesso na TV e no rádio. Nada disso seria necessário para apresentá-lo se falássemos em Ernesto Varella, o famoso repórter fictício que ironizava personalidades com perguntas desconcertantes durante a abertura política. É com todo esse gabarito que Marcelo Tas empresta humor e ironia à turma do CQC. Agência Estado — Como recebeu o convite para participar do programa?Marcelo Tas — Levei um choque, pois conhecia o programa há uns dez anos e jamais esperava participar dele.
Acha que o Brasil combina com o formato do CQC?Esse tipo de humor combina muito com o Brasil, estamos acostumados com o humor mais escrachado.
O que tem de Ernesto Varella no seu personagem?O Varella é quase como uma alma penada que está ali, uma presença espiritual.Você se sente precursor do Pânico e do Casseta?
Eles já me falaram isso, mas conquistaram um caminho muito diferente. Eles fazem um humor bem mais popular e não lidam tanto com a matéria-prima do jornalismo.
Sente que tem um papel de líder no grupo?Teve um pouco isso de fã no começo, mas agora já está passando. Eles têm um certo respeito diferente, me escutam. (Da AE)

SAIBA MAIS
Sucesso pelo mundo
Caiga Quien Caiga nasceu na Argentina, em 1995. Exibido pela Telefe, enfrentou baixas audiências no início, mas logo cresceu fazendo perguntas absurdas a famosos e políticos.
Ganhou edições também no Uruguai, México, Chile, Espanha, Itália, França e Israel.
A versão espanhola é uma das mais agressivas, e divertidas também. Astros como George Clooney se rendem a eles na boa.
Em Israel, o programa logo foi retirado do ar por incomodar uma elite de famosos e políticos, que consideravam a atração de mau gosto
.Suas invasões a festas e confusões com seguranças de eventos, com direito a dancinhas e trilhas sonoras, inspiraram, e muito, o Pânico.
As versões internacionais da atração também gostam de imagens de celebridades bêbadas e de arrumar encrenca com aqueles que odeiam os paparazzi.
________________________________________________
Tribuna da Imprensa ________________________________________________


Band disponibiliza vídeo do programa CQC no Youtube
Um dos programas mais aguardados da nova programação da Bandeirantes é o humoristico CQC, sucesso em vários países. De matiz jornalistica, cáustica e irônica, no Brasil a atração será capitaneada por Marcelo Tas, um dos pioneiros desse tipo de humor. É dele o personagem Ernesto Varela, um dos precursores do estilo que consagraram, entre outros, as matérias irreverentes e críticas do Casseta e Planeta e do Repórter Vesgo. A atração contará também com revelações da comédia stand up no Brasil, como Rafinha, Oscar Filho (do Clube da Comédia) e ainda Danilo Gentili (do Comédia ao Vivo), que são um fenômeno na internet com centenas de milhares de hits em seus videos no Youtube. Mirando justamente neste público, a Band disponibilizou no site um trailler longo do programa.
É possível dar uma olhada no cenário e na dinâmica dos repórteres, além da edição e do grafismo, uma das marcas registradas da atração.
________________________________________________
Marcelo Tas estréia na Band programa que trata notícias com irreverência
Rio - Sete homens vestidos de terno preto, óculos escuros e com uma única missão: fazer um programa jornalístico com assuntos que estão na mídia de forma cômica e, ao mesmo tempo, séria. Esse é o clima do ‘CQC — Custe o Que Custar’, que estréia hoje, às 22h15, na Band.Mas, como falar sério e fazer humor? ‘Essa é a pergunta de um milhão de dólares”, diverte-se o âncora, Marcelo Tas, que nos anos 80 fez
sucesso na TV como o repórter Ernesto Varella, que fazia entrevistas irreverentes. Agora Tas vai dividir a bancada com Rafinha Bastos e Marco Luque. “Vamos olhar para o noticiário com os ‘óculos’ do público”, explica.“Temos carência na TV brasileira do humor inteligente. Falta alguém para tocar nas feridas, perguntar o que ninguém tem coragem, mas sem humilhar os outros”, completa Rafinha, responsável também pelo quadro ‘Proteste Já’: “É o espaço para levantar problemas da sociedade e cobrar junto às autoridades competentes”.Apesar das possíveis comparações com o ‘Pânico na TV’ — devido à abordagem cômica aos políticos e às celebridades, por exemplo —, Rafael Cortez (um dos quatro repórteres de rua) afirma que a atração é original: “É absolutamente diferente do ‘Pânico’. Respeito o trabalho deles, mas o público vai notar as diferenças. Fazemos perguntas inteligentes, inusitadas com teor jornalístico”.Marcelo Tas acredita que não é à toa que o formato, líder de audiência na Telefé (TV argentina) e produzido também em outros cinco países, chegou à Band. “É o canal que começou com os debates, temos reconhecimento editorial pluralista e a isenção é muito respeitada” afirma Tas, satisfeito com o horário.
“Segunda-feira, se você não quer assistir ao Sylvester Stallone dando tiro ou a Hebe, não tem o que ver”, alfineta. No primeiro mês, o ‘CQC’ será gravado, às segunda-feiras, poucas horas antes de ir ao ar. A partir do segundo mês, o programa entra ao vivo.
________________________________________________


CQC: Programa de humor estréia na Band

A Band estréia nesta segunda-feira, dia 17 de março, às 22h15, o programa de humor CQC - Custe o que Custar. A trupe do CQC é formada por Marcelo Tas, Rafinha Bastos, Marco Luque, Danilo Gentili, Rafael Cortez, Oscar Filho e Felipe Andreoli. Vai ser fácil reconhecer a trupe do CQC. Afinal de contas, são sete homens vestidos de terno preto, usando inseparáveis óculos escuros. Mas a principal marca do time "Custe o que custar" é a irreverência. Com humor inteligente, audacioso e muitas vezes ácido, o programa faz um resumo semanal das notícias, e nessa varredura dos fatos importantes, sob o olhar atento do CQC, ninguém escapa.
De microfone em punho e munidos de uma cara de pau acima da média os cinco têm uma prioridade: perguntar o que ninguém teve coragem. "Essa foi uma das escalações mais difíceis que fizemos, porque esse elenco precisava ter vários atributos específicos. Era fundamental ter ótimo conhecimento geral e humor na veia, além de muita coragem e improviso para enfrentar as situações. Duas outras preocupações foram não escolher pessoas com o mesmo tipo de humor e buscar profissionais sem vícios, que não fossem conhecidos na TV, apesar de experientes. Alguns deles, inclusive, são destaque da comédia stand up no Brasil", afirma Elisabetta Zenatti, diretora de programação e artístico da Band. Marcelo Tas, um dos nomes fortes do time, explica o que o empolgou no projeto: "Sou fã do CQC há mais de 10 anos, quando cruzei com os caras em Buenos Aires. Tivemos uma identificação imediata por conta do Ernesto Varela, que um deles já conhecia. Topei o convite da Band porque acredito que o nível de exigência editorial e qualidade técnica do CQC é uma forma de aperfeiçoar o trabalho que faço na TV desde sempre. E também porque acredito que o telespectador brasileiro esteja aberto e com vontade de mais irreverência e humor para ajudar a digerir as notícias absurdas dos nossos dias", afirma. ________________________________________________

Jornal de Jundiaí

5 comentários:

Anônimo disse...

Amo muito o CQC e principalmente quando aparece você na tela...Aiai, se um dia vc pudesse me entrevistar...
Gosto muito do que você faz...
Beijos

Carol disse...

Cara, você é um filé...gato pacas e não é piada!!!

vangela disse...

Olá Rafael, adoro vc e o CQC, o programa faz o que todos os brasileiros gostariam de fazer "rir da cara dos políticos". O programa é de uma inteligência ímpar. E agradeço por vcs existirem. O Acre corre atrás do CQC.

vangela disse...

Olá Rafael, adoro vc e o CQC, o programa faz o que todos os brasileiros gostariam de fazer "rir da cara dos políticos". O programa é de uma inteligência ímpar. E agradeço por vcs existirem. O Acre corre atrás do CQC.

vangela disse...

Olá Rafael, adoro vc e o CQC, o programa faz o que todos os brasileiros gostariam de fazer "rir da cara dos políticos". O programa é de uma inteligência ímpar. E agradeço por vcs existirem. O Acre corre atrás do CQC.